Podologia
O que é podologia?
História
Exercer podologia?
Risco do fenol
C.B.O.
Uso de luvas
Esterilização
Resíduos podólogico
Termos técnicos
Calçados
Ferida
Empresas Podologia
Postura Profissional
O que é hanseníase?
Onicogrifose
Laserterapia na Podologia
TCC

  Podopatias
Psoriase
Bicho-do-pé
Bolhas
Calos
Correção de unha
Disidrose
Micose de unha
Pé-de-atleta
Pé diabético
Pé infantil
Rachaduras
Unha
Unha encravada
Verrugas
Uso de Fressa
Alta Frequencia

LASERTERAPIA NA PODOLOGIA



   

LASERTERAPIA NA PODOLOGIA

O Laser é a única fonte de luz que se propaga de forma organizada, em uma mesma direção, por meio de ondas de comprimento idêntico. Tais características o tornam um emissor de grandes quantidades de energia e de fácil manipulação.  O significado da palavra LASER é amplificação da luz por emissão estimulada de radiação.

Na podologia trabalhamos com o Laser de Baixa Potência (quando os valores atingem até 100 W de potência ) e que poderá trabalhar em baixa intensidade, utilizado para tratamento de algias, inflamações e cicatrizações dos tecidos.

 São aparelhos que emitem radiações de baixa potência, sem potencial destrutivo, capaz de modular as respostas fisiológicas celulares de forma não-agressiva ao organismo.

Para que seja possível entender, medir, escolher e controlar a irradiação dos tecidos a serem tratados, é necessário que se conheça o conceito de algumas grandezas físicas:

Energia: quantidade de luz depositada no tecido tratado, e a unidade utilizada é o J (joule).

Densidade de Energia:  E a distribuição da energia por unidade de área A unidade é J/cm2(Joule por centímetro quadrado).

 Potência: e a relação entre energia aplicada e o tempo que leva para que ela seja aplicada A unidade utilizada é mW (watt ou J/ s).

Densidade de Potência: Quantidade de energia por segundo aplicada numa certa área. A unidade utilizada é W/cm2 (watt por centímetro quadrado).

E preciso classificar os sistemas laser quanto ao nível de excitabilidade que poderá  estar causando no tecido alvo biológico. Uma vez o laser absorvido pelo tecido, ele poderá atuar a nível molécular. Se essa excitabilidade for relativamente pequena, ou seja, se tratar de um laser de baixa potência poderá ocorrer uma bioestimulação ou bionibição para as reações químicas e fisiológicas naturais desse tecido.

TERAPIA  FOTODINÂMICA

Entende-se como terapia fotodinâmica ou PDT do inglês, PhotoDynamic Therapy, o uso de moléculas fotossensibilizadoras as quais, quando expostas a uma fonte de luz específica captam e transferem energia para as moléculas de oxigênio da vizinhança, produzindo-se assim compostos eletronicamente excitados, os radicais livres. Na terapia fotodinâmica, o fotossensibilizante não reage diretamente com células, microrganismos e tecidos, após ativação por luz, a substância transfere a energia da mesma para o oxigênio molecular, formando uma espécie particularmente reativa, chamada de “oxigênio singleto”.                                                                                                                                                       Após passar sua energia, o fotossensibilizante volta a seu ponto de partida e aguarda uma nova carga de luz para repetir o processo inteiro novamente. A substância age efetivamente como um tipo de catalisador para reações de óxido-redução e de formação de radicais livres, o que torna o processo inteiro muito eficiente. A maioria dos Laser de Baixa Potência  está na faixa de 635 à 660nm(nanômetro)de comprimento de onda, e combina com fotossen­si­bilizantes, como o azul de metileno, fenotiazinas ou toluidina. O Laser de Baixa Potência não produz efeito calórico, sem aquecimento.

EFEITOS FOTOFÍSICOS DO LASER

- Acréscimo da micro circulação arterial

- Redução de edemas, incremento dos fluxos venoso e linfático

- Aumento das células de defesa para fagocitose e interferon (vírus)

- Acelera o processo de regeneração epitelial

- Eleva e equilibra o nível de produção de colágeno.

- Eleva a produção de beta-endorfinas, promovendo analgesia

TRATAMENTO

Toda reação é previsível, os sintomas podem desaparecer com uma única aplicação do laser, como também, podem não responder á aplicação do laser, ou não responder á aplicação sendo necessários vários procedimentos. E ás vezes, momentaneamente, os sintomas podem piorar. Por exemplo , a dor que estava melhorando, aumenta novamente, mas por pouco tempo. É o que a medicina chama de fase crítica de cura.

Portanto, o tempo de tratamento poderá ser breve ou prolongando, dependendo da evolução do caso, que varia de cliente para cliente.

Aplicação.

A potência de irradiação usada em JOULE varia empiricamente, dependendo do autor, do tipo de patologia, de sua profundidade, entre outros. É dada em joules por cm2, e a densidade de energia pode variar de 2 a 12 joules por cm2. Depende da quantidade de potência do aparelho.

ATEÇÃO: CADA  APARELHO APRESENTA UM TEMPO DIFERENTE DE APLICAÇÃO, EXIJA DO FABRICANTE DO APARELHO O PROTOCOLO DE APLICAÇAO.

Toda área deve ser limpa com álcool, 70% para os casos em que não haja ulceração de qualquer tipo.  Nos casos de ulceração, fazer anti-sepsia da região com soro fisiológico 0,9%.

Dosimetria: O conjunto de manobras e táticas que o podólogo utiliza para adequar o equipamento na quantidade de energia mais eficiente para o tratamento em questão.

O efeito fotobiológico é o conjunto de efeitos derivados da absorção pelos tecidos; assim as aplicações pontuais devem ser de, aproximadamente, 1 cm para cada ponto nas bordas da ulceração. Caso a aplicação seja zonal ou por varredura, deve-se medir a área de incidência do LASER ou a área lesada a ser tratada.

Aplicação:

1. Técnica pontual ou ponto a ponto: é aplicada em determinados pontos a borda da ferida.

2. Técnica de varredura externa: é aplicada em toda a borda da ferida, com velocidade média constante.

3. Técnica associada - são aplicadas, de forma conjunta, a pontual e varredura mista.

4. Técnica do  contato direto ou seja, tocando a ponta do laser com pressão no tecido alvo.Atingindo diretamente a lesão.

Obs: Proteger a ponta ativa do Laser com plástico (PVC) descartável, para evitar contaminações cruzadas e como medida de higiene.

PROTOCOLO DE APLICAÇAO.

Algumas podopatologias.

ONICOCRIPTOSE COM GRANULOMA. (modificações de origem infecciosa na corpo ungueal, associada a uma infecção bacteriana piogênica).                                                                                    

 Técnica de aplicação: Profilaxia empregando anti-sépticos incolores ( álcool 70%). Após a espiculaectomia, aplicar a técnica pontual ou por varredura sobre o granuloma e sobre a região acometida pelo eritema (mancha vermelha, devido à congestão de capilares sangüíneos, associada à Terapia Fotodinâmica: gotejar azul de metileno a 0,01 ou 0,2% sobre a lesão, deixar em descanso por 3 a 5 minutos(tempo para penetrar no tecido /célula alvo para haver a fotossensibilização). Curativo oclusivo indicado após a aplicação do LASER. Aplicações de duas vezes por semana. Obs. Quando ocorrer uma hiper sensibilidade não ser possível aplicar a técnica do tipo contato direto ou seja, tocando a ponta do laser com pressão, distanciar no máximo 0,5cm.

VERRUGA PLANTAR (VP) ( Existe uma raiz com células virais (HPV) que se aprofundam na região plantar devido a constante pressão do peso do corpo contra o solo).

Técnica de aplicação: Realizar primeiramente o desbastamento e a anti-sepsia.  Em seguida a aplicação da técnica pontual ou por contato ( fazer uma pequena pressão com a ponta do laser sobre os pontos  negros, que representam os capilares, provocando uma isquemia, assim permite uma maior penetrabilidade da luz), estendendo até 1 cm ao redor da mesma, associada à Terapia Fotodinâmica: gotejar azul de metileno a 0,01 ou 0,2% sobre a lesão, deixar em descanso por 3 a 5 minutos. Aplicações de uma a duas vezes por semana. Curativo oclusivo indicado após a aplicação do LASER. Certos casos de VP se faz necessário aplicar a droga injetável na lesão, o que limita o procedimento apenas aos médicos.

ONICOMICOSE (Doença nos corpos ungueais causada por fungos, provocando alterações na sua forma, cor e espessura).

Técnica de aplicação: Realizar primeiramente a laminação com fresas podológicas. Aplicar, a técnica pontual, contato ou por varredura, associada à Terapia Fotodinâmica, posteriormente, aplicar o LASER. Aplicações de duas vezes por semana. Quanto maior a região comprometida mais demorada será o tratamento.

Obs. É importante dizer que para se ter um correto diagnóstico é preciso realizar exames micológicos e cultura, pois algumas onicopatias podem apresentar as mesmas características que as onicomicoses.

ÚLCERAS PLANTARES ( interrupção da continuidade dos tecidos ).

Técnica de aplicação: Higienização e  o desbastamento com anti-sepsia da região com soro fisiológico 0,9%. Aplicação por técnica de varredura mista ou pontual sobre uma área expandida num raio de até 1 cm ao redor da lesão, associada à Terapia Fotodinâmica. Aplicar em seguida, as coberturas necessárias. Obs.Importante evitar a irradiação do centro da lesão para não estimular a proliferação dos microrganismos, portanto irradia-se somente pontos ao redor da lesão.

Dermatofitose (micose que acomete os espaços interdigitais dos pés).

Técnica de aplicação: Após a higienização, aplicar a técnica associada de forma conjunta, a pontual e varredura mista, associada à Terapia Fotodinâmica, posteriormente, aplicar o LASER. Aplicações de duas vezes por semana.

CALO  INFECCIOSO  (presença de agentes infecciosos no núcleo do calo)

Técnica de aplicação: Realizar primeiramente anti-sepsia da região com soro fisiológico 0,9%.o desbastamento. Aplicar a técnica pontual sobre a lesão e  varredura sobre uma área expandida num raio de até 1 cm associada à Terapia Fotodinâmica. Finalizar com anteparo mais conveniente.

Lesões lineares no calcâneo (fenda ou sulco superficial, fisiológico ou patológico).Técnica de aplicação:  Anti-sepsia da região com soro fisiológico 0,9%. Com o desbastamento. Aplicar a técnica pontual sobre a lesão ou  varredura associada à Terapia Fotodinâmica. Finalizar com hidratação como creme mais conveniente. Obs: Só quando  houver existência de sangramento e inflamação  associa a PDT. 

Patologias que não constam nesta lista, pela semelhança com algumas das acima citadas, podem se executar o mesmo protocolo.

Biossegurança.

Paciente gestante, evitar direcionar o Laser para o feto.

Não irradiar áreas em hemorragia.

Não irradiar área com hipoestesia ao calor e ou dor.

Não irradiar área epífise em crianças.

Evite irradiar crianças com menos de dois anos de idade.

Proteção para o profissional e paciente que consiste basicamente no uso dos óculos de proteção que atenuem o feixe a que se submetem.

Cobrir objetos que reflitam luz.

Obs. Consultar o fabricante do aparelho sobre outras biossegurança.                                                        

É Necessário que o podólogo se dedique aos estudos do laser, entender a luz Laser como um fenômeno  com características especiais e depois a interação dessa luz  com os tecidos biológicos antes de iniciar as aplicações. Conhecimentos dos possíveis  riscos durante a irradiação e dos cuidados existentes são requisitos essenciais para todos os profissionais que utilizam o Laser.

Pesquisa / Fontes: Protocolos dos Fabricantes (Laser da DMZ, LED Edens  e Laser Hand....ect ). Livro Laser em Bio-Medicina(editora Atheneu).

Podologista/ Podólogo Orlando Madella Jr

Fev. 2010.


Podólogo Orlando Madella Jr.
Av. Paulista, 807 - Conj. 1012
Fone: (11) 3266-4710



Cadastre seu email.
Receba noticias sobre podologia.




Desenvolvido por Madella - Soluções para Internet